O que define um bom guia de pesca profissional? Ainda sem avaliações.

Compartilhe:

A legislação ambiental se torna cada vez mais necessária para a proteção dos rios, das matas e dos oceanos e, por isso, muitas pessoas procuram por uma pessoa capacitada tecnicamente, com licença, para atuar como um guia de pesca profissional, para passeios e turismo adequados às normas..

Uma viagem de pesca pode ser uma experiência de união divertida, e que pode não se encaixar na vida de pessoas que estão sempre ocupadas com a rotina agitada de trabalho na cidade.

Quando se trata de procurar um momento para relaxar, como uma pescaria em rios caudalosos ou em alto-mar, é preciso buscar ajuda de um guia de pesca profissional.

Isso porque esse instrutor pode fornecer todo o aparato necessário para um passeio seguro e dar dicas para que, quem sabe, os visitantes consigam pegar alguns peixes.

Para que a pescaria não seja frustrada rapidamente, quando chega aquele momento que parece impossível pegar um peixe sequer, mesmo com a vara e a isca certas para a praticar esse tipo de atividade, o guia profissional pode ajudar com dicas e informações úteis.

Ter um capitão de barco, um guia de pesca profissional ou um pescador experiente – mesmo que trabalhe durante a semana em um escritório de administracao de condomínios – pode ajudar a tornar o iniciante em um pescador avançado no devido tempo. 


O que é um guia de pesca profissional?

Na prática, um guia de pesca profissional é pago para levar os clientes à pesca em local devido e de forma adequada.

Os guias de pesca são pescadores experientes e que trabalham ao ar livre, estando familiarizados com as vias ​​locais e sabendo onde encontrar os melhores pontos para a atividade.

Tudo isso faz com que os clientes aproveitem o tempo ao máximo, para que possam construir memórias agradáveis sobre a experiência para toda a vida. 

Dependendo da localização e especialidade, um pescador pode ser um guia geral de pesca ou concentrar as habilidades na orientação de pescadores com isca, bem como para pescadores de água doce e salgada. 

Manejar uma varinha de pesca é completamente diferente de trabalhar com uma rede, ou mesmo a rotina diária com uma máquina de solda mig mag, por exemplo.

Portanto, independentemente de qual seja a especialidade e técnica de pesca, é importante adequar o ensino proposto e o ambiente de atuação, bem como as divulgações para alcançar o público mais direcionado. Além disso, é fundamental continuar se aperfeiçoando na área escolhida.

É importante notar, porém, que o caminho é diferente para cada guia. Afinal, a preparação e o cenário de atuação podem se diferenciar, inclusive, alguns profissionais podem preferir se planejar e implementar, meticulosamente, novas práticas e ensinos ao longo do caminho, procurando novas formas de atuação.


Como se tornar um guia de pesca profissional?

Quem quer se tornar um guia de pesca profissional precisa observar diversos fatores. 

Essa pessoa pode morar na região Centro-Oeste, onde a pesca esportiva é muito praticada. Ou então próximo aos rios caudalosos da Amazônia. E até mesmo por toda a costa litorânea brasileira.

Até mesmo quem trabalha na área da contabilidade em São Paulo pode se propor a atuar em uma carreira diferente aos finais de semana em parques e espaços dedicados à pesca.

Portanto, algumas situações irão ditar o tipo de guia de pesca profissional que alguém deseja ser, dentre todas as oportunidades que podem ser aproveitadas para se tornar aquele que vai atender turistas ou pescadores amadores. 

Para isso, é preciso identificar com o que se identifica, somado ao conjunto de habilidades na arte da pescaria e facilidade de acesso aos espaços. 

Uma pessoa pode aprender a ser um bom pescador. Contudo, para ser um bom guia, é fundamental ser um bom professor. Essa é a verdadeira habilidade aqui, demandando treinamento e dedicação, assim como os aspectos técnicos.

Também é preciso decidir que tipo de pesca mais gosta e pode ensinar, investindo em conhecer mais sobre a segmentação para ser um guia de pesca profissional.

O investimento em alguns materiais também pode ser necessário, como varas para a aula, aquário pessoal para mostrar os tipos de peixes da região, ou mesmo um concentrador de oxigênio preço de investimento baixo para algumas atividades mais específicas.

Vale lembrar que, mesmo em discussão junto ao poder público, ainda não existe uma regulamentação da categoria no país.


Dicas para se tornar um guia de pesca profissional

Para se encaixar melhor como um guia de pesca profissional, é importante seguir as dicas a seguir.

1. Tenha conhecimento sobre pesca

Mesmo que pareça óbvio, é preciso ter pelo menos uma boa compreensão sobre o comportamento dos peixes, padrões, táticas de pesca e até em manejo de barcos, caso queira ser um guia de pesca profissional bem-sucedido. 

Os clientes estão pagando pelo tempo disponível e por toda a experiência de pesca proposta, tendo a esperança de aproveitar um passeio e, quem sabe, pegar um bom peixe, mesmo que seja para mostrar fotos aos amigos que trabalham em uma fábrica de filtro de osmose reversa residencial.

Se um guia de pesca não apresentar certas habilidades e técnicas, as pessoas vão perceber isso e isso irá impactar na atividade, além de comprometer a imagem do profissional frente a futuros possíveis clientes.

Por isso é preciso ter conhecimento sobre o que se está fazendo para passar destreza na atividade e proporcionar uma melhor vivência, impressionando os clientes.

2. Treine a capacidade de ensino

Esta é uma das habilidades mais importantes que um guia de pesca profissional pode desenvolver. 

Os clientes não apenas querem pescar, mas também valorizam todo o ensinamento passado e o aprendizado adquirido, mesmo que seja para realizar a atividade de forma menos frequente.

Quem trabalha como guia de pesca pode ensinar algo para os clientes pagantes, e assim eles verão que toda a viagem e o serviço apresentado foram mais valiosos. 

Por isso, o profissional precisa ser capaz de comunicar, de maneira efetiva, táticas e orientações certeiras, para que os clientes possam pescar e aproveitar o tempo na água com a possibilidade de uma experiência de pesca sem igual.

3. É preciso praticar a paciência

A paciência é fundamental para os guias de pesca profissional. Muitas vezes, ele estará orientando clientes que têm conhecimentos de pesca muito limitados ou que se frustram quando a tentativa não dá certo. 

Além disso, também terá que lidar com tipos difíceis, como aqueles que acham que sabem de tudo ocasionalmente.

Por isso é preciso praticar a humildade e a paciência, assim como em qualquer área, como os profissionais que prestam serviços de contabilidade preços.

Vale ensinar quem quer aprender oferecendo dicas valiosas e os apoiando, bem como respeitar quem “acha” que já sabe tudo, identificando momentos para deixá-lo tentar ou trazer novas orientações. 

Ter paciência permite que os clientes possam aproveitar ao máximo a experiência na água, tornando a vivência melhor para todos os envolvidos.

4. Mantenha a tranquilidade

O profissional responsável pelo serviço de guia não pode ficar estressado ou frustrado quando algo não sai conforme o planejado. 

A pesca é cheia de percalços e infortúnios, e nem sempre a maré estará favorável. As variações de temperatura, por causa das estações do ano, nem sempre permitem um dia bonito, com peixes pulando no barco. 

Haverá dias em que a pesca é lenta, como a formalização de um planejamento tributário, e o clima é úmido e desagradável. Por isso é preciso fazer o melhor da situação para os clientes. 

Isso tornará a vida mais agradável e vai deixar os clientes mais felizes, apesar de imprevistos.

5. Assertividade em alta

É importante ser descontraído, mas o guia de pesca profissional também precisa ter um lado assertivo e ativo. Afinal, a pesca pode ser perigosa e é preciso que os clientes ouçam e sigam as orientações rapidamente.

Se alguém está fazendo algo arriscado ou em uma posição em que algo pode acontecer com ele, como debruçado nas grades de um barco, é preciso ser firme para orientar essa pessoa com desenvoltura. 

Da mesma forma, se uma pessoa está arruinando a experiência de outras, pode ser preciso ter tato suficiente para ajudar na situação sem ofender ou envergonhar ninguém.

6. Julgamento sólido

Esse aspecto é muito importante e se alinha à assertividade.

Ter intuição de pesca é ótimo para entregar peixes no convés, mas o bom senso é importante para tomar decisões claras que mantenham todos seguros e melhorem a experiência do cliente. 

Ao aperfeiçoar o próprio julgamento pessoal, como para identificar situações de risco, o profissional se tornará um guia de pesca mais bem-sucedido a longo prazo.

7. Cortesia é um segredo inabalável

É importante levar em consideração os sentimentos, aspirações e desejos de outras pessoas em qualquer decisão que se tome na água ou no estacionamento, da mesma forma que é preciso ter em relação à manutenção de nobreak e outros processos de gestão das estruturas usadas.

Assim, é preciso saber o que os clientes realmente desejam da viagem e fazer o possível para que isso aconteça. 

Por isso o guia de pesca deve colocar os anseios dos clientes em primeiro lugar. 

Ser cortês com os viajantes e pescadores fará com que muitos deles voltem ao local e, assim, eles se tornam ótimas referências e clientes fiéis.

8. Utilidade em todos momentos

É trabalho do guia de pesca ser o mais útil possível. Ele está lá para oferecer aos clientes pagantes uma boa viagem e experiência, com histórias e dicas para tornar o momento único.

Sendo assim, é preciso entregar valor em qualquer lugar ou situação em que se encontrar, percebendo e solucionando necessidades.

Se os peixes não estiverem mordendo, o tempo de inatividade pode se mostrar como uma oportunidade para diversas atividades, como:

  • Amarrar os nós das linhas de pesca;
  • Apresentar o folclore regional; 
  • Contar histórias
  • Desembaraçar as linhas;
  • Ensinar sobre a pesca e a natureza;
  • Explicar sobre a região;
  • Limpar os peixes (em caso de captura não esportiva)

Ou seja, se os clientes quiserem aprender a limpar os próprios peixes, esse é o momento perfeito para ensiná-los. 


Conclusão

No fim das contas, ser um guia de pesca profissional pode valer muito a pena, financeiramente falando. Tudo varia de acordo com a demanda de clientes, o sucesso pessoal, a reputação, estratégia de encantamento e divulgação usados e até o planejamento tributário adequado, entre outros fatores.

Quem está inserido nesse meio pode ganhar a vida como guia de pesca profissional, pois a demanda é crescente em municípios com vocação turística, e a própria legislação ambiental que exige licenças especiais que podem ser adquiridas apenas por quem trabalha no setor. 

Por fim, para ser um guia de pesca profissional é preciso gostar de pescar e ensinar, ter paciência e desenvoltura para se relacionar com os clientes, promovendo uma experiência completa e de valor aos clientes.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Gostou da publicação sobre guia de pesca profissional? Então compartilhe com seus amigos. Aproveite e siga Pescaria S/A no Facebook , Pescaria S/A no Instagram e Pescaria S/A no Twitter para ficar atualizado sobre nosso conteúdo de pesca. Também estamos no Youtube com nosso Canal Pescaria S/A. Obrigado por visitar o Blog Pescaria S/A. Boa pescaria!

Imagem: Yacht photo created by alexeyzhilkin – www.freepik.com

Por favor, avalie isto